Pirâmide de Aprendizagem

A ideia de que a educação se encerra ao finalizar um curso ou terminar o ensino médio está ultrapassada.  O  aperfeiçoamento constante amplia as nossas capacidades, além de aprofundar nosso conhecimento.

No século 21, o importante é ‘aprender a aprender’, pois o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e dinâmico, desta forma, acumular conhecimento e experiência em áreas diversas só traz benefícios.

Mas você sabia que existem métodos de aprendizagem ?

Muitos estudos tentam identificar qual melhor forma de aprender.  Dentre eles, destaca-se a teoria do psiquiatra americano, William Glasser, que, de maneira geral, indica que para cada procedimento utilizado, entre eles: ler, ouvir, ver, ver e ouvir, debater, fazer/praticar, ensinar, há diferentes níveis de aprendizagem e compreensão. A Pirâmide de Aprendizagem ilustrada por ele, aponta esses níveis em porcentagem, conforme imagem abaixo:

Ler, Escutar, Ver, Ver e Ouvir são conhecidas formas Passivas de Aprendizagem.

Os outros 70%, 80% e 95% que instigam a conversa, debate, escrita, interpretação, explicação, resumos (…), são apontadas como Aprendizagem Ativa

Levando isso em consideração, pode-se afirmar que a instituição que adota métodos ativos, aumenta a aprendizagem dos estudantes em até 95%.

“Em 1969, o estudo do professor, Edgar Dale, dizia que depois de duas semanas, o cérebro humano lembra 10% do que leu; 20% do que ouviu; 30% do que viu; 50% do que viu e ouviu; 70% do que disse em uma conversa/debate; e 90% do que vivenciou a partir de sua prática. O estudo ficou conhecido pelo nome The cone of learning.”